Estamos na terceira onda da transformação digital e, se você tem um negócio, provavelmente já entendeu quão importante é garantir experiências seguras e de alto desempenho para os usuários. Nos últimos dois anos, desde que o modelo de trabalho que conhecíamos começou a mudar, os investimentos em TI aumentaram drasticamente para garantir a fluidez dos processos, a satisfação dos colaboradores e a continuidade dos negócios.

Com crescimento de 9% em 2021, de acordo com o Garter, os gastos mundiais com TI devem atingir 4,5 trilhões de dólares em 2022. A expectativa de prosperar, reter talentos, preencher lacunas e obter resultados positivos a longo prazo guiará a adoção de novas soluções digitais. Mas nem por isso as escolhas se tornaram mais simples e claras para todas as empresas.

No que diz respeito a virtualização de desktops para garantir flexibilidade e estabilidade durante o trabalho remoto, independente do dispositivo, rede ou localização, uma escolha equivocada e o resultado pode não ser como o esperado. Apesar de parecerem semelhantes, Desktop as a Service, conhecido como DaaS, e VDI tem diferenças que vão além de gerenciamento e manutenção.

Prós, contras e principais diferenças

Embora ambos garantam espaços de trabalho virtuais protegidos e fáceis de configurar sem que seja necessário instalar sistemas operacionais em todas as máquinas usadas pelos colaboradores, cada um deles tem prós e contras que merecem uma atenção especial.

VDI, caracterizado por permitir que sistemas operacionais de desktops sejam hospedados em qualquer ambiente e garantir gerenciamento interno da área de trabalho e dos aplicativos, é uma boa escolha para empresas que já tem um setor de TI bem estabelecido, capaz de fazer manutenção de hardware, upgrades e atualizações de software.

PRÓS CONTRAS
  • Configuração simples;
  • Economia de tempo;
  • Recursos dedicados às necessidades da equipe;
  • Experiência do usuário simplificada e consistente;
  • Flexibilidade para controle a partir de qualquer ferramenta de gerenciamento e monitoramento;
  • Altos custos iniciais com preparação do ambiente;
  • Demanda por TI robusta para assegurar manutenção e suporte diário;
  • Alto desempenho de rede e necessidade de força de trabalho bem localizada geograficamente.

Já DaaS, conhecido por ser um tipo de VDI capaz de assegurar que desktops sejam hospedados, gerenciados e acessados na nuvem e com suporte de provedores terceirizados, é uma opção para organizações que adotaram o trabalho híbrido, querem reduzir custos de TI ou tem que lidar com demandas sazonais e inesperadas.

PRÓS CONTRAS
  • Migração Simples;
  • Escalabilidade para usuários;
  • Manutenção e gerenciamento automatizado;
  • Modernização de infraestruturas;
  • Previsibilidade e redução de custos.
  • Falta de controle que pode prejudicar empresas

que tem necessidades de hardware específicas;

  • Custos recorrentes com base no número de usuários.

Para decidir entre ambas as tecnologias, vale lembrar que é fundamental ter em mente coisas como o valor disponível para investimento, o momento do negócio, o modelo de gestão da equipe de TI, as responsabilidades organizacionais e o ritmo de operação da empresa.

Esteja sua organização estável e com uma força de trabalho geograficamente centralizada, ou em expansão buscando por agilidade, para passar por esse processo, ela precisará de suporte. Nomeada como líder no setor pelo Gartner, a Citrix oferece soluções como Citrix Virtual Apps and Desktops e recursos adicionais que podem ser implantados com a ajuda dos experts da Populos.

Há 6 anos no mercado, a Populos já foi eleita Latin America & Caribbean Partner of the Year, Brazil Partner of the Year e Workspace & Cloud Partner of the Year em 2019 e foi o parceiro mais premiado pela Citrix por 3 anos consecutivos.

Então, para fazer sua escolha entre DaaS e VDI e alcançar os resultados esperados, entre em contato conosco.